Sobre o Restaurante Arab

A HISTÓRIA DO ARAB

Vivian Arab é uma apaixonada. Por sua cultura de origem e por seu Rio de Janeiro. Em 1996, decidiu unir esses encantos na experiência culinária árabe que, hoje, faz parte da vida desse povo maravilhoso do Rio de Janeiro. O Arab nasceu para ser uma moderna delicatessen. Não cabendo em si, transformou-se no Restaurante Arab em Copacabana, e no pioneiro quiosque da Lagoa Rodrigo de Freitas. Vivian tem diversas histórias pra contar nesses 20 anos de muitos encontros e bons momentos.

Filha de pai sírio e mãe libanesa, largava ali a vida de psicanalista para assumir a de restauratrice. Ampliou seus conhecimentos com uma herança feminina familiar: sua mãe, suas primas e sua madrinha, realizando experiências vividas de imersão na culinária árabe. “Com essa convivência aprendi a despertar meus sentidos, fiz uma universidade doméstica, um retorno às minhas origens”, conta Vivian.

O Arab de Ipanema, carinhosamente chamado por Vivian de ‘Arabinho’, tinha apenas 17 lugares. As delícias árabes logo começaram a ganhar fama e depois de quatro anos, Vivian abriu o quiosque no Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas. O sucesso foi ainda maior. “Ali aprende muito porque era preciso manter o padrão de qualidade e atendimento, apesar do grande volume de clientes”.

“O trabalho no quiosque foi o sinal que poderíamos crescer e montar um restaurante maior”, diz Vivian. O passo seguinte foi encontrar um ponto. Desde 2001, Vivian instalou o Arab em plena Avenida Atlântica e tornou a casa uma referência na gastronomia árabe na cidade do Rio de Janeiro.